19 outubro, 2008



Fostes embora sem adeus,
Sem até breve e friamente
Fugiste do meu olhar.

Regressas sem cerimônia,
e sem nenhum sentimento
Ao que diz, ser teu lugar.

Não tens ciência do quanto
Tua ausência foi longa por que
Ainda não viste nosso jardim...

Está apinhado de rosas
Que semeastes um dia.
Meu coração, entretanto,
Nesse tempo – entre prantos
Desconsolado entristeceu.

Ficaram as rosas no jardim mas
demorastes um pouco.
O meu amor... Sinto muito,
De tanto esperar...Já morreu.
*****************

* Maria Lúcia Bastos *




4 comentários:

Anônimo disse...

queridos Amigos, façam seus comentários marcando o ítem anônimo ok?

claudoca2008 disse...

Como emtudo que tem um toque seu, toca a alma, toca fundo, assim bem lá no fundo e nos faz rever e repensar em coisas que muitas das vezes já tínhamsos como certas. Que maravilha! Continue assim, assim, cada vez mais a Maria Lúcia, mas nunca a mesma Maria Lúcia! beijos parabenizados com amor, afeto e carinho. bjs mil bem lá...

barbara aline disse...

minha querida,
parabéns pelo blog, está muito boom!
linda as poesias!!

beijos.
Bárbara.

Sétimo Andar disse...

Só naum tem pq naum ker...
loira,bunita,cheia de vida e poesia nas veias...q mais um cara pode kerer...ah! sim essas covinhas q ela mostra kuando sorri...,kualker um se derrete...
nem precisa de lua,é só ele olhar para luz desses olhos,que sorri com um convite.
exprimenta menina, sai pra caça,ñ deixe o tempo passar...a hora é essa o momento é esse!...ih! ficou parecendo frase de "Fausto Silva",rs...
Boa sote ,vc MERECE!